cancro online

Qualidade de vida no cancro

Tenho cancro. Como será afetada a minha qualidade de vida?

Se lhe foi diagnosticado cancro, a sua pergunta, entre muitas outras questões, é como será a sua qualidade de vida durante o processo.

Atualmente, existem vários tratamentos que o seu médico pode prescrever para controlar a doença e controlar os efeitos colaterais mais comuns de algumas terapias, como as náuseas e os vómitos.

Nem todas as pessoas sofrem destes efeitos secundários, mas se isso acontecer, deve informar o seu médico para que ele possa aconselhar uma solução. O objetivo é que os profissionais de saúde ajudem para que a sua doença afete o menos possível a sua qualidade de vida e para que possa, dentro do possível, ter uma vida normal.

Enfrentar o primeiro dia de tratamento

Cada pessoa é única e enfrenta o primeiro dia de tratamento de forma diferente. É normal que se gerem sentimentos diferentes durante o processo de tratamento, como sentir-se nervoso ou preocupado no início. Mas o importante é estar relaxado e calmo no primeiro dia de tratamento, bem como nos seguintes.

Para isso, recomenda-se que um ente querido ou amigo o acompanhe, que faça exercício (sempre sob supervisão médica) ou que fale sobre o que sente com alguém em quem confia ou com pessoas que passaram ou estão a passar pelo mesmo.

Normalmente, deve dirigir-se a uma sala específica do hospital para que lhe seja administrado o tratamento. Na maioria dos casos, poderá regressar a casa no próprio dia, embora, às vezes, o tipo de tratamento ou a condição física em que se encontre exija uma breve permanência hospitalar.

Para estar mais confortável e relaxado durante este tempo, é aconselhável fazer um pequeno-almoço leve, o que o ajudará a lidar com possíveis náuseas. Para aliviá-las, também pode tomar rebuçados de menta ou de gengibre. Além disso, não se esqueça de uma garrafa de água e de ir com roupas confortáveis ou com algum agasalho, caso tenha frio. Para se distrair, pode ler um livro ou ouvir música. Em qualquer caso, deve ser sempre algo que não exija muito esforço.

Os efeitos secundários dos tratamentos

Os possíveis efeitos adversos dependerão do tipo de tratamento recebido, de alguma doença crónica de que padeça e também de como o seu corpo reage à terapia. No caso do cancro, por exemplo, os fármacos utilizados são cada vez mais eficazes, uma vez que se obtêm melhores resultados com um melhor controlo dos efeitos secundários. No entanto, é bem possível que, ao receber tratamento para o seu cancro, sofra de algum tipo de efeito adverso, pelo que é importante ter consciência deste facto.

Estes são alguns dos efeitos mais comuns:

  • Cansaço e sensação de desmaio: Isto pode impedir que realize as atividades quotidianas. Se sente mal-estar, fale com o seu médico e, acima de tudo, com os seus familiares e amigos, pois são quem mais o podem ajudar;
  • Problemas bucais: Outro dos possíveis efeitos secundários são os problemas da boca. A alteração mais frequente é a mucosite, que consiste numa inflamação da mucosa da boca e pode produzir úlceras dolorosas ou feridas, podendo mesmo causar sangramento ou infeção da gengiva. Para evitar estes problemas, é essencial que mantenha uma boa higiene oral e que visite regularmente o seu dentista;
  • Náuseas e vómitos: Estes são dois dos efeitos secundários mais conhecidos e temidos dos tratamentos, como a quimioterapia. Hoje, existem soluções para aliviar as náuseas e os vómitos. Por isso, se sofrer destes sintomas enquanto recebe o tratamento, informe o seu médico, pois certamente lhe poderá oferecer uma solução;
  • Problemas digestivos: Tanto a obstipação como a diarreia podem ocorrer com a quimioterapia, pois a mucosa do intestino pode ser afetada. Se tem obstipação, tente beber muitos líquidos e comer alimentos ricos em fibras (como pão ou arroz integral) e fazer exercício de forma moderada. Se, por outro lado, sofre de diarreia, evite alimentos ricos em fibras, evite o consumo de leite e seus derivados, procure comer pequenas quantidades de cada vez, mas mais vezes ao longo do dia, entre outras recomendações. Em qualquer dos casos, consulte sempre o seu médico;
  • Alterações no apetite e no paladar: Durante o tratamento de quimioterapia, poderá perder o apetite ou até sentir que a comida não lhe sabe ao mesmo. Não se preocupe, é uma situação normal e é outra consequência do tratamento. Se tal acontecer, é aconselhável que mude a forma como habitualmente prepara os alimentos. Por exemplo, experimente utilizar mais especiarias, como o alecrim e o manjericão, e experimente também bochechar a boca com água antes de comer;
  • Queda de cabelo: É um dos efeitos secundários mais conhecidos da quimioterapia, especialmente pelo impacto que causa nos próprios doentes e naqueles que os rodeiam. Se perder parte ou a totalidade do seu cabelo, pense que é uma situação temporária e que, uma vez terminada a terapia, ele voltará a crescer, podendo, eventualmente, surgir com diferentes características (cor, textura, etc.). Seja como for, nem todos os tratamentos com quimioterapia provocam queda de cabelo e esta é uma questão que poderá colocar ao seu médico para que se possa preparar, caso aconteça.

Com o surgimento dos efeitos secundários do tratamento, não hesite em partilhá-los com o seu médico ou com o seu enfermeiro, e dizer-lhes como se sente. Não deve assumir sempre todos estes efeitos como normais, mesmo os mais incómodos. E, embora possa parecer muito repetitivo, nunca se esqueça de falar sobre eles sempre que tiver uma dúvida.

Como enfrentar os vómitos e as náuseas

Os vómitos e as náuseas provocados pelos tratamentos para o cancro são especialmente frequentes, uma vez que afetam cerca de 50% dos pacientes que recebem quimioterapia. Estes efeitos afetam muito a qualidade de vida dos doentes e, por vezes, provocam o surgimento de complicações, como a desidratação e o desequilíbrio eletrolítico, podendo mesmo conduzir a uma mudança de terapia.

Existem vários fatores que influenciam a predisposição de cada pessoa no momento de ter estes efeitos secundários, como a idade, o sexo, ter tido náuseas ou vómitos em quimioterapias anteriores, o alcoolismo, etc..

Se isto lhe acontecer enquanto estiver a receber tratamento para o cancro, saiba que existem terapias que o seu médico lhe pode administrar para controlar esses efeitos secundários desagradáveis.

Dependendo do tratamento que lhe está a provocar náuseas e vómitos, da dose, da frequência e da via de administração, existem diferentes possibilidades:

  • Antagonistas dos recetores de dopamina;
  • Antagonistas dos recetores serotoninérgicos;
  • Corticoesteróides;
  • Antagonistas da substância P;
  • Benzodiazepinas.

Para além dos fármacos, é muito aconselhável utilizar técnicas de relaxamento que ajudem a controlar as náuseas. É claro que também é essencial fazer uma alimentação adequada ao longo do tratamento, evitando alimentos que o organismo não tolera. Além disso, é recomendado que sejam feitas refeições ligeiras, ou seja, que se coma mais frequentemente mas em menos quantidades. Tudo isto ajudará a enfrentar este possível efeito secundário e a mantê-lo controlado.



Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Merck Sharp & Dohme Corp.,uma subsidiária da Merck & Co., Inc. Kenilworth, NJ, USA, conhecida fora dos EUA e Canadá como MSD. Os conteúdos disponibilizados nesta página
Web são informação de carácter geral e não substituem em nenhum caso as consultas, tratamentos ou as recomendações do seu médico. ONCO-1250257-0000 03/2018