Cancro Mama: Estilo de vida saudavel - Cancro Online

Fatores de Risco do Cancro da Mama

Causa do Cancro da Mama

A causa exata do cancro da mama é desconhecida mas vários fatores de risco para o desenvolvimento da doença foram identificados. É importante lembrar que ter um fator de risco aumenta o risco de desenvolver cancro mas isso não significa que o cancro irá definitivamente aparecer. Da mesma forma, não ter um fator de risco não significa que definitivamente não desenvolverá cancro.

Fatores de Risco Mais Importantes

A investigação tem demonstrado que há mulheres que apresentam um risco aumentado para cancro da mama, que se pensa estar associado a determinados fatores de risco (fatores que aumentam a probabilidade de uma pessoa desenvolver uma doença). Foram já identificados alguns fatores de risco para o cancro da mama:

  • Sexo feminino;
  • Raça:o cancro da mama ocorre com maior frequência em mulheres caucasianas (brancas), comparativamente a mulheres Latinas, Asiáticas ou Afro-Americanas;
  • Idade avançada: a possibilidade de ter cancro da mama aumenta com o aumento da idade, uma mulher com mais de 60 anos apresenta maior risco; o cancro da mama é menos comum antes da menopausa;
  • História pessoal de cancro da mama:uma mulher que já tenha tido cancro da mama (numa mama), tem maior risco de ter esta doença na outra mama;
  • Alterações mamárias: história pessoal de hiperplasia atípica (acumulação de células anormais nos tecidos mamários) ou de cancro lobular in situ;
  • História familiar: o risco de uma mulher ter cancro da mama está aumentado se houver história familiar de cancro da mama; mulheres com familiares de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) com cancro da mama têm duas vezes o risco de desenvolver cancro mama em comparação com uma mulher sem histórico familiar; o risco aumenta três vezes se esse familiar foi diagnosticado com cancro da mama antes da menopausa.
  • Predisposição genética: mutações em determinados genes (BRCA1, BRCA2, entre outros) que aumentam a predisposição a cancro da mama;
  • Exposição a estrogénios (primeira menstruação em idade precoce (antes dos 12 anos), menopausa tardia (após os 55 anos), anticoncetivos orais, terapêutica hormonal de substituição);
  • Exposição a radiação ionizante: por exemplo, mulheres que tenham realizado radioterapia no peito antes dos 30 anos;
  • Primeira gravidez depois dos 31 anos;
  • Ter menos filhos ou mulheres que nunca tiveram filhos (nuliparidade);
  • Obesidade: a obesidade está relacionada com uma proporção anormalmente elevada de gordura corporal; tendo em conta que o corpo produz alguns estrogénios (hormona feminina) no tecido gordo é, assim, mais provável que as mulheres obesas apresentem níveis elevados de estrogénios e, consequentemente, risco aumentado para cancro da mama;
  • Inatividade física:mulheres que são fisicamente inativas, durante a sua vida, parecem ter um risco aumentado para cancro da mama; estar fisicamente ativa pode ajudar a diminuir este risco, através da prevenção do aumento de peso e da obesidade.
  • Consumo de álcool

Alguns destes fatores de risco estão representados a baixo:

A maioria das mulheres que desenvolvem cancro da mama não tem história de cancro da mama na sua família; de facto, com exceção do envelhecimento, muitas mulheres com cancro da mama não apresentam fortes fatores de risco para a doença.

PT-KEY-00264 05/2020

msd Com o apoio de: Associação de enfermagem oncológica Portuguesa Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro Associação Portuguesa de Urologia Europacolon Portugal – Apoio ao Doente com Cancro Digestivo Grupo Português Génito-Urinário Liga Portuguesa contra o cancro Sociedade Portuguesa de Anatomia Patológica