Tratamento do Cancro do Esófago

Quais são os possíveis efeitos secundários do tratamento?

Riscos e efeitos secundários da cirurgia

A remoção do esófago é um procedimento cirúrgico de risco elevado. Existem vários riscos e pode causar problemas de saúde indesejados, designados complicações. As complicações podem geralmente ser tratadas, mas por vezes são difíceis de tratar e podem mesmo ser fatais.

Alguns riscos de complicações são os mesmos do que em qualquer intervenção cirúrgica realizada sob anestesia geral. Estas complicações são pouco frequentes e incluem trombose venosa profunda, problemas cardíacos ou respiratórios, hemorragia, infeção ou reação à anestesia. Embora existam riscos, os médicos tomarão as medidas mais adequadas para os minimizar.

A união do estômago ao esófago é designada anastomose. Esta anastomose pode por vezes sofrer uma fuga após a cirurgia ou causar uma infeção no peito. Passado algum tempo, o estreitamento do esófago devido à cicatrização pode provocar dificuldades em engolir. Este estreitamento pode ser novamente dilatado através de uma endoscopia, minimizando o problema.

Em alguns doentes, o estômago demora mais tempo a esvaziar do que antes da cirurgia, o que pode causar náuseas e vómitos. Outros doentes sofrem de azia por o músculo que separa o esófago do estômago ter sido removido. Existem medicamentos eficazes para aliviar estes sintomas. Um nutricionista pode aconselhar e ajudar as pessoas a recomeçar a comer e gradualmente adaptar os alimentos e bebidas de acordo com o processo de cicatrização do esófago.

Riscos e efeitos secundários da quimioterapia

Os principais efeitos secundários da quimioterapia são:

  • Queda do cabelo
  • Náuseas e vómitos
  • Diarreia
  • Feridas ou úlceras na boca
  • Baixa contagem de células sanguíneas. A diminuição dos glóbulos brancos aumenta o risco de infeções e torna mais difícil o organismo combatê-las. A diminuição dos glóbulos vermelhos provoca anemia, o que pode causar cansaço e falta de ar. A diminuição das plaquetas sanguíneas pode tornar as pessoas mais sensíveis a hematomas e hemorragias (por exemplo, no nariz ou nas gengivas).

Para além destes efeitos secundários, cada fármaco pode também causar efeitos secundários específicos. Por exemplo, alguns fármacos de quimioterapia podem afetar os nervos e causar sintomas como dormência, formigueiro e dor nos dedos das mãos e dos pés e sensibilidade ao frio.

Riscos e efeitos secundários da quimiorradioterapia

Os efeitos secundários da quimiorradioterapia são iguais aos da quimioterapia (mencionados anteriormente) e aos da radioterapia. Os principais efeitos secundários da radioterapia administrada no tórax e/ou estômago são enjoos e dor de garganta forte. Como ingerir alimentos pode ser difícil, algumas pessoas podem perder peso temporariamente ou necessitar de fluidos endovenosos adicionais.

Riscos e efeitos secundários da terapêutica dirigida

Alguns fármacos que são terapêuticas dirigidas podem ter como efeitos secundários pressão arterial elevada, diarreia, sangramento do nariz e fadiga. Outros podem provocar sintomas gripais na primeira dose recebida.

PT-KEY-00750 10/2021

msd Com o apoio de: Associação de enfermagem oncológica Portuguesa Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro Associação Portuguesa de Urologia Europacolon Portugal – Apoio ao Doente com Cancro Digestivo Grupo Português Génito-Urinário Liga Portuguesa contra o cancro Sociedade Portuguesa de Anatomia Patológica