Rastreio do cancro colo rectal

Diagnóstico do Cancro Colo Rectal

Considerando que a grande maioria dos casos de cancro colorretal se desenvolvem a partir de pólipos a única forma de prevenir que estes pólipos continuem a desenvolver-se é através da realização de exames de rastreio. Muitos dos exames de rastreio são, também, os exames de diagnóstico da doença. Pelo facto de o cancro colo rectal atingir, em larga maioria, pessoas com mais de 50 anos, recomenda-se a realização de exames de rastreio a partir dessa idade em todas as pessoas, independentemente do género. No entanto, é também recomendado o rastreio do cancro colo rectal a todas as pessoas com outros fatores considerados de risco elevado.

Cancro Colorretal - Tratamentos

Rastreio do Cancro Colo Rectal

Os programas de rastreio de base populacional, para além de promoverem a saúde através da literacia e controlo de fatores de risco, permitem a identificação de lesões malignas em estádios iniciais da doença. Quanto mais cedo é detetado um tumor maior é o benefício e a capacidade de resposta de cada indivíduo ao tratamento, havendo um aumento da taxa de sucesso contra o cancro no intestino. Em Portugal, implementaram-se rastreios de base populacional em alguns tipos de cancro como o cancro colo rectal, cancro do colo do útero e cancro da mama.

PSOF

Nos rastreios de cancro colo rectal, na ausência de sintomas, é recomendado que realize uma pesquisa de sangue oculto nas fezes.

Colonoscopia

Caso o teste acima seja positivo, recomenda-se a realização de uma colonoscopia.

Na presença de sintomas é, normalmente, recomendado uma colonoscopia. Este exame de rastreio permite o diagnóstico de cancro colo rectal, uma vez que, possibilita a observação de todo o intestino grosso.

Durante a colonoscopia e, no caso da existência de pólipos, estes poderão ser removidos.

Biópsia

A realização de uma biópsia (retirada de uma amostra de tecido do organismo) é imprescindível para a caracterização e diagnóstico definitivo do tumor.

Colonografia por TAC

Um outro exame que também utilizado para o rastreio e diagnóstico de cancro colo rectal é a colonografia por TAC, no entanto, no caso deste exame apresentar resultados positivos é necessário a realização de uma colonoscopia posteriormente.

Após diagnóstico

Numa fase em que já se confirmou a presença de um cancro colo retal são também, por vezes, solicitados outros exames como a TAC ou ressonância magnética para se conseguir caracterizar o tumor.

PT-KEY-00579 05/2021

msd Com o apoio de: Associação de enfermagem oncológica Portuguesa Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro Associação Portuguesa de Urologia Europacolon Portugal – Apoio ao Doente com Cancro Digestivo Grupo Português Génito-Urinário Liga Portuguesa contra o cancro Sociedade Portuguesa de Anatomia Patológica